Paredes virtuais

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

                Muitas pessoas, em tempos de Coronavírus, tentam cada vez mais estar próximas a seus filhos, maridos, esposas – enfim, de suas famílias –, e até mesmo dos colegas de trabalho. A questão é que, às vezes, desrespeitamos as “paredes virtuais” do próximo.

                É claro que todos precisamos estar perto, mas também precisamos nos afastar. Vamos à fábula dos porcos-espinhos: em uma era glacial, percebendo o risco de morte por congelamento, os animais resolveram se juntar em grupos para se agasalhar mutuamente, mas os espinhos de cada um feriam os companheiros vizinhos – justamente os que ofereciam mais calor. Ao se afastarem para não se machucar, eles morriam de frio, então eles se reagruparam, em uma distância segura, e sobreviveram.

                A partir dessa narrativa, percebe-se que qualquer excesso pode causar dor. Muitos falam apenas sobre a dificuldade de se estar só, mas conviver também não é tão simples, ainda mais quando não se tem uma distinção entre momento coletivo e momento individual.

                Assim, ao nos relacionarmos, devemos estar atentos a quão perto ou longe gostamos de ter o outro e precisamos estar dele, especialmente daqueles que amamos. Expressar amor não é só manter proximidade; é respeitar o espaço do outro.

                Já percebeu os fones de ouvido, portas fechadas, olhares de estranhamento, narizes torcidos ou mesmo cobranças desnecessárias? Quais são as paredes que você coloca, mesmo que de forma invisível, àquele que está aí, ao seu redor?

                Atente-se ao modo como estabelece suas “paredes virtuais”, e como os seus semelhantes o fazem. Caso necessário, saiba que você pode contar com a ajuda de um psicólogo. Lembre-se de que essas barreiras se dão em qualquer contexto em que esteja inserido, seja familiar, escolar (relação aluno-professor ou mesmo professores entre si), de trabalho ou de comunidade como um todo.

Abraço

Danilo Suassuna

Photo by pixpoetry on Unsplash

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

2 Responses

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

O que fazer quando meu filho erra?

                Geralmente, quando um filho comete um erro, somos agressivos, dizendo palavras cruéis e atacando sua personalidade. Sei que é mais fácil, e confesso que

Leia mais »

Home Office x Cervicalgia

Em atenção às recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), diversos trabalhadores de todas as áreas, iniciaram o chamado Home Office, que seria o trabalho

Leia mais »